Carlezzo Advogados

Notícias

10/03/2020

Fortaleza estuda romper contrato de TV fechada do Brasileiro com a Turner

Por Rodrigo Mattos, UOL Esporte.

 

A diretoria do Fortaleza analisa a possibilidade de ir à Justiça e romper de forma unilateral o contrato de direitos de televisão com a Turner. Isso será discutido em uma reunião com o Conselho Deliberativo na noite desta terça-feira. A alegação do clube é de que seu acordo é prejudicial ao clube por ter remuneração menor do que os outros clubes que têm compromisso com a emissora.

A disputa entre Fortaleza e Turner se iniciou com um pedido de renegociação do clube por argumentar que ganhava R$ 12 milhões a menos do que os outros sete times da Série A da Turner. Não houve acordo. Assim, o clube já recorrer ao CADE (Conselho Administrativo de Direito Econômico).

"Haverá uma reunião da Conselho Deliberativo. A gente está analisando quais as possibilidades que se permite, de um reajuste, de um rompimento, é um contrato ruim, que nos causa desequilíbrio competitivo. Não podemos ficar quieto e achar que podemos competir com R$ 12 milhões a menos", afirmou o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz.

O dirigente se decidiu por uma reunião no Conselho para dividir a decisão sobre o contrato por ser relevante do ponto de vista financeiro para o clube. A reunião vai tratar do assunto, mas não necessariamente vai ter uma decisão final. É possível que apenas deixe encaminhada uma estratégia.

Paz também defende que, no processo no Cade, sejam abertos os contratos da Turner com os outros clubes para que se verifique a desigualdade dos valores. Há ainda a possibilidade de o conselho discutir a questão da negociação individual ou coletiva de contratos de televisão.

"Processo que já temos no Cade tem o seu curso normal. A outra novidade é que agora o Conselho e a diretoria do Fortaleza analisa, a possibilidade de rescindir o contrato de forma unilateral", disse o advogado do clube, Eduardo Carlezzo. "O Cade tem interesse em analisar negociações individuais e se o correto não seria a coletiva. Há uma possibilidade de discutir e a situação pode mudar.".

O Cade, no entanto, já analisou a concorrência pelos direitos de televisão do Brasileiro-2019 por acusações de que havia regras que feriam a concorrência. Pelo menos neste inquérito, que acabou sem acusação, não foi questionado o fato de os contratos serem individuais com cada clube.

Questionada, a Turner ainda não respondeu ao blog com um comentário sobre a posição do Fortaleza.

https://www.uol.com.br/esporte/futebol/colunas/rodrigo-mattos/2020/03/10/fortaleza-estuda-romper-contrato-de-tv-fechada-do-brasileiro-com-a-turner.htm

« voltar